19 de ago de 2008

AH...



ah, esse amor

jogado a fundo perdido

mas pouco importa

por ser Amor, basta

quando te vejo com os olhos prateados

sei que somos de outra existência

e sei que encerras um mistério

que adoraria e receio desvendar

de onde vens? quem és?

onde nos encontramos antes?

te conheço e desconheço

reconheço e esqueço

brincas feliz quando me vês

e entonteço com esse algo que escapa

O quê, afinal, vejo em ti?



16 de ago de 2008

sombra







QUISERA




Quisera ter inspiração para
escrever sem lei e sem senhor
Voar pelo abstrato
Expor-me à volúpia do silêncio
Amar aquilo que em ti me seduz:
tua alma, tua essência, tua luz


Sentir num lírico momento,
mais do que o possível
a um carnal amante:
o espírito do teu ser


5 de ago de 2008

3 de ago de 2008